O maior dos Homens…

O maior dos seres humanos é aquele que tendo estatuto ou poder, continua humilde e compassivo.
O ser humano mais valioso será aquele que estende a mão, que diz obrigado, que pede desculpa e que dá sem esperar receber nada em troca.

Para sermos humanos, temos de ter humanidade e ter humanidade implica saber que pertencemos a uma teia una e que, se agora estamos “nas alturas”, noutra altura estaremos “no chão”… Os “poleiros”, os cargos e os altares são rotativos e aqueles que não provarem ser dignos deles, acabam por cair de forma natural.

O povo não se deixa enganar facilmente e sabe reconhecer um falso líder.

Cada um de nós sabe quando é que “as estrelas” e as “divas” vivem do ego e têm o coração vazio. Reparem quantos desses cumprimentam o porteiro ou perguntam à senhora das limpezas como está o marido e as filhas…

As pessoas que vivem do estatuto são vítimas das suas próprias máscaras, têm amigos interesseiros igualmente falsos e no fundo não sabem nada do amor.
As pessoas que vivem do ego, só pensam em si e naquilo que as pode empoderar e não percebem nada de humildade.

A fama, o poder e o dinheiro pervertem. Se tiveres um dos três ou os três, questiona-te sobre a forma como vives e amas… Revisita a consciência…

Ser pequeno é apegar-se à ideia de ser famoso ou poderoso, em detrimento da humanidade.

Ser grande é saber ser pequeno.

«The highest benevolence acts without purpose.» Tao Te Ching chapter 38

Texto: Rute Violante

Fotografia: Charisma

www.charisma.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *